Uma noite de reflexão e adoração tomou conta do culto de Natal em uma Faculdade Bíblica na região do Golfo

 

Entre reluzentes lanternas de argila e candelabros que ornamentam o hall de entrada da livraria cristã da Faculdade Bíblica Alive, houve um tempo de alegria acerca dos mistérios de Deus que envolvem a realidade daqueles cristãos. A reflexão aconteceu durante o culto de natal. “Uma realidade comovente”, opinou um estudante da Faculdade, referindo-se às ameaças da Al-Qaeda e de outros terroristas a todas as instituições cristãs naquela região do Golfo. O culto foi aberto com cânticos entoados por crianças e alunos da faculdade. Crianças até três anos entraram segurando velas, enquanto cantavam “Viemos para compartilhar uma história”, cantado em farsi, urdu, pashtu e outros dialetos locais.

Entre cânticos, intercessões e trechos das Escrituras, a congregação foi levada a clamar ao Senhor em favor da humanidade ferida e destruída, assim como a celebrar o glorioso aniversário de Cristo e Sua promessa para o século 21, ainda que em meio à guerras, rumores de guerras, pobreza , lutas diárias e contendas. “Há muito a se fazer nessa época de natal. Esse culto nos leva a ficarmos em silêncio e refletir acerca da promessa de Deus”, afirmou um membro da faculdade, envolvido no ministério pastoral, ocupação que facilmente se torna intensa e desafiadora em países onde ameaças de violência, abusos e perseguição são constantes.
 
Um grupo de visitantes estava no culto. Eles iriam para outra parte do país participar de reuniões e decidiram ir à celebração devido a grande necessidade que sentiram de passar um tempo em oração e ministração.  Um dos objetivos da Faculdade é prover um ministério de oração e ministração. “Servir é um dos anseios do Seminário e sei que estamos fazendo aquilo para o qual fomos chamados: dar água aos que estão cansados”, reflete o membro da faculdade.

O culto chegou ao final e era chegada a hora do chá, momento onde seria possível compartilhar algumas situações. Alguns alunos foram embora imediatamente, preocupados com as ameaças de violência. “É melhor os homens irem embora logo e todas as mulheres estão sendo acompanhadas nas ruas por membros das famílias para evitar chamar atenção”, afirmou uma das mães. “Prometemos aos pais que cuidaríamos de seus filhos. Em países onde as meninas cristãs são vulneráveis, tomamos para nós uma grande responsabilidade. Precisamos que o mundo ore por nós!”

Enquanto Tabinda*, aluna do Seminário, arrumava as malas para viajar a uma parte remota do país, ela cantarolava um dos hinos que ouviu durante o culto de natal. “As palavras: ‘espere pelo Senhor porque Ele está perto’ ecoaram em meu coração. Parece não haver nada para comemorar por causa de tanta violência e medo que nos assolam, mas lembrei que Ele está perto e É digno de ser adorado.” Mais tarde, esse foi o tema da pregação que compartilhou em sua igreja local, situada em uma das partes mais violentas da região onde Tabinda reside. A igreja dela é constantemente ameaçada e é sempre vigiada pelos olhos atentos dos grupos terroristas.

Assim como ela, outros alunos viajam para diferentes partes do país, envolvidos em diversos ministérios, tanto em comunidades lideradas pelo  Seminário como em suas igrejas locais. Kabir*, aluno da Faculdade, e sua família lideram cursos de alfabetização em uma comunidade sob a responsabilidade do Seminário. Eles utilizam o nascimento de Cristo para compartilhar sobre a Palavra de Deus pela primeira vez em comunidades subdesenvolvidas e pobres que vivem em uma atmosfera de medo e violência.

“A noite acalmou nossos corações e aquietou nossos medos”, alegrou-se um membro da Faculdade. “Passamos todo o ano vivendo sob estresse e medo por causa da segurança de nosso trabalho, dos membros da equipe e dos alunos. Experimentar esse lugar de paz e esperança é como ter um oásis em meio ao deserto”, afirma. A faculdade pretende reabrir no final do mês e atrasou esse reinício por duas vezes devido à insegurança na região. “Se tudo estiver bem, daremos início às classes e começaremos os cultos e quando isso acontecer que Deus nos mantenha seguros dos atos terroristas. Esperamos em Deus para que Ele nos dirija no próximo tema do ano. Deus está conosco”, afirma o diretor da Faculdade de Teologia de Lahore, enquanto fecha seus olhos, apoia suas mãos no colo e entrega ao Senhor todos os desafios e preocupações que preenchem seu coração.

*Nomes foram trocados por questões de segurança.

 

Fonte: Portas Abertas

 

Leia outras notícias